Realidade que Bolsonaro quer
9 de novembro de 2018
Lembranças de família
12 de novembro de 2018
Spread the love

Militares norte-americanos no Afeganistão

CC BY 2.0 / The U.S. Army / flickr_cover_photo

Oriente Médio e África

11:01 12.11.2018(atualizado 12:29 12.11.2018) URL curta

643

A Universidade Brown localizada em Providence, Rhode Island, nos EUA, elaborou um relatório onde foram calculadas todas as perdas do exército americano e de seus aliados durante as missões realizadas no Afeganistão e no Iraque.

A Universidade Brown localizada em Providence, Rhode Island, nos EUA, elaborou um relatório onde foram calculadas todas as perdas do exército americano e de seus aliados durante as missões realizadas no Afeganistão e no Iraque.

Além disso, a Universidade também calculou o número de vítimas entre a população civil, forças policiais e militares nacionais, além dos funcionários de missões humanitárias e jornalistas.

Militantes do grupo terrorista Daesh (proibida na Rússia) no Afeganistão

© Foto : Youtube/PressTV Documentaries

Onze militantes do Daesh se rendem às autoridades no Afeganistão

Desde 2001, quando os soldados americanos invadiram o Afeganistão, iniciando as guerras “contra o terrorismo”, os conflitos provocaram entre 480 e 507 mil vítimas, segundo o site Task and Purpose. Entretanto, esses números não contam com as pessoas que faleceram como resultado da guerra, ou seja, por falta de acesso a alimentos, água, cuidados de saúde e eletricidade.

Contudo, a maior perda sofrida pelas forças americanas foi no Iraque, onde morreram 4.550 militares americanos. Esse número foi praticamente duas vezes maior do que o número de perdas no Afeganistão, onde as forças americanas perderem 2.401 militares.

Além disso, as guerras causaram a morte de 299 jornalistas e mais de 109 mil policiais e militares dos regimes pró-americanos.

O número de vítimas civis é ainda maior, as ações militares causaram a morte de aproximadamente até 204.575 pessoas no Iraque e 38.480 no Afeganistão.

Porém, também houve um grande número de vítimas civis na fronteira com o Paquistão, lugar onde ocorreram operações especiais das forças americanas, inclusive com ataques de drones americanos a depósitos dos terroristas, causando a morte de mais de 23 mil pessoas.

Para a invasão do Iraque, os EUA haviam enviado aproximadamente 148 mil soldados, que tinham como missão desarmar o regime iraquiano, terminando o apoio de Saddam Hussein a organizações terroristas. Já no Afeganistão os EUA tinham como missão encontrar Osama bin Laden, além de outros líderes terroristas.

Depois de toda a ação no Iraque, foi constatado que o país não possuía nenhum tipo de arma de destruição em massa.

Fonte: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018111212656511-perdas-impressionantes-forcas-eua/


Spread the love
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *