Sergio Massa toma posse e anuncia as primeiras medidas em busca de solução para crise argentina
4 de agosto de 2022
Forças Armadas chinesas conduzem exercícios militares em larga escala em torno da ilha de Taiwan
4 de agosto de 2022

"A base da paz e estabilidade do estreito de Taiwan é o princípio de uma só China", diz chanceler chinês

O chanceler chinês se pronunciou na reunião de ministros das Relações Exteriores da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) no Camboja

4 de agosto de 2022, 06:23 h Atualizado em 4 de agosto de 2022, 06:54

www.brasil247.com - Wang Yi Wang Yi (Foto: REUTERS/Shubing Wang)

Rádio Internacional da China – A despeito das representações severas da China, a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, visitou a região de Taiwan da China. A conduta contraria severamente o princípio de Uma Só China e viola maliciosamente a soberania chinesa, sendo uma provocação política aberta, o que desperta a forte indignação do povo chinês e a oposição da comunidade internacional. Isso prova mais uma vez que alguns políticos dos EUA já se tornaram “produtores de problemas” das relações sino-estadunidenses e os EUA já são o “maior prejudicador” da paz e estabilidade do estreito de Taiwan.

Washington não deve fantasiar um impedimento da grande causa da reunificação da China. Taiwan faz parte do território chinês. Realizar a reunificação completa do Estado representa a tendência irresistível e a necessidade histórica. Nós jamais deixaremos nenhum espaço para as atividades secessionistas pela “independência de Taiwan” e a interferência de forças exteriores. Não importa de que maneira os EUA apoiem a “independência de Taiwan”, ela acabará sendo em vão, e só deixará mais registros feios na história dos EUA por interferirem brutalmente nos assuntos internos de outros países. A questão de Taiwan resultou da fragilidade e do caos da nação, e certamente terminará com o rejuvenescimento da nação no futuro.

Os EUA não devem fantasiar que prejudicarão o desenvolvimento da China. O país já encontrou o caminho correto de desenvolvimento com base nas próprias condições. Sob a liderança do Partido Comunista da China, 1,4 bilhão de chineses caminham para a modernização com características chinesas. Vamos depender da nossa própria força para concretizar o desenvolvimento do Estado e da nação e quer realizar a coexistência pacífica e o desenvolvimento comum de todos os países. Jamais permitiremos que qualquer país prejudique a estabilidade e o desenvolvimento da China.

Os EUA não devem fantasiar em uma manipulação de jogos geopolíticos. Buscar a paz, estabilidade, desenvolvimento e ganha-ganha é vontade geral dos países da região. A conduta dos EUA de ter introduzido a questão de Taiwan na estratégia regional e provocado confronto e tensão é contra a tendência de desenvolvimento da região e viola as expectativas do povo da Ásia-Pacífico, sendo muito perigosa e estúpida. O princípio de uma só China já é uma diretriz básica de relações internacionais e uma parte da ordem internacional depois da Segunda Guerra Mundial. Os EUA devem parar imediatamente de violar a Carta das Nações Unidas e abandonar a perturbação da Ásia-Pacífico aproveitando a questão de Taiwan.

Os EUA não devem fantasiar em uma transformação arbitrária do certo e do errado. Washington afirma que foi a China que agravou a tensão, mas o fato é que o governo estadunidense primeiro provocou a questão de Taiwan e violou de maneira flagrante a soberania e integridade territorial da China. Os EUA alegaram que há um precedente no qual a presidente da Câmara dos Representantes visita Taiwan, mas a razão mais básica é que os erros do passado não podem ser uma desculpa para repeti-los hoje. Os EUA alegaram que a separação de poderes não pode vincular o Parlamento, mas o princípio mais básico do direito internacional é que os EUA devem cumprir suas obrigações internacionais, e figuras políticas importantes não devem agir arbitrariamente. Os EUA ainda alegaram que a busca pela reunificação da China é uma “ameaça” para Taiwan, mas a lógica mais básica é que Taiwan é uma parte inalienável do território da China, e a questão de Taiwan é completamente um assunto interno do país. A China salvaguarda a integridade territorial e se opõe à secessão da nação, o que é razoável e legítimo.

Quero enfatizar que a base da paz e estabilidade do estreito de Taiwan é o princípio de uma só China, e a verdadeira “grade de proteção” para a coexistência pacífica entre a China e os EUA são os três comunicados conjuntos. “Depender dos Estados Unidos para buscar a independência” é um beco sem saída, e “aproveitar da questão de Taiwan para conter a China” está fadado ao fracasso. Para a causa justa nacional da reunificação do país, o povo chinês tem coragem, ambição e determinação, e especialmente tem a capacidade de defender resolutamente a soberania nacional e a dignidade nacional.

Fonte: https://www.brasil247.com/mundo/a-base-da-paz-e-estabilidade-do-estreito-de-taiwan-e-o-principio-de-uma-so-china-diz-chanceler-chines

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − sete =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.