China proíbe entrada de navios militares e veta ONGs dos EUA por ‘interferência’ em Hong Kong
3 de dezembro de 2019
EUA cobram China por muçulmanos, guerra comercial escala e bolsas caem
4 de dezembro de 2019

‘Abaixe o tom’: mensagem de França e Alemanha para Trump durante a cúpula da OTAN

Presidente da França, Emmanuel Macron, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente dos EUA, Donald Trump, se preparam para a foto oficial da Conferência da OTAN, em 4 de dezembro de 2019

© REUTERS / Christian Hartmann

Europa

09:24 04.12.2019(atualizado 09:35 04.12.2019) URL curta

564

Nos siga no

Líderes da OTAN devem dizer a Trump que baixe o tom de suas críticas à aliança, uma vez que os gastos militares dos aliados estão em alta. Retórica dura deve ser desafio para o encontro de líderes da aliança em Londres.

Em conversas em recepção no Palácio de Buckingham nesta terça-feira (3), os líderes da França e Alemanha coordenaram posições. Os europeus devem dizer a Trump que não admitem ser tratados como parceiros menores da aliança.

Trump acusou os aliados de agirem como “delinquentes” por gastarem menos com defesa do que os Estados Unidos. Em resposta, a Europa, a Turquia e Canadá devem apresentar um prognóstico de gastos militares que atinge US$ 400 bilhões até 2024.

​Meus comentários sobre a OTAN desencadearam reações diversas. Eu mantenho [os meus comentários]. Trata-se de um fardo que carregamos juntos: não devemos colocar dinheiro e pagar o preço com a vidas de nossos soldados sem ter uma ideia clara acerca de quais devem ser os princípios da OTAN. Amanhã eu irei defender os interesses da França e da Europa.

França e Alemanha também devem pressionar por maior presença da OTAN na África e no Oriente Médio, além da proposta já apresentada de reunir um “grupo de especialistas” para discutir a reforma da aliança.

Donald Trump participa da reunião dos líderes da OTAN, em Londres.

© AP Photo / Evan Vucci

Donald Trump participa da reunião dos líderes da OTAN, em Londres

De acordo com expectativas preliminares, o comunicado final da conferência deve reafirmar o compromisso com a defesa mútua e anunciar mobilizações adicionais das Forças Armadas britânicas para reforçar a capacidade de combate da Europa.

Pela primeira vez, o documento deve incluir o aumento dos gastos militares da China como objeto de preocupação e estipular que a aliança se prepare gradualmente para defender-se do gigante asiático.

Retórica dura

No entanto, a conferência deve contar com debates acalorados, tanto em função da polêmica declaração de Macron sobre “morte cerebral” da aliança, quanto pelas demandas da Turquia em relação às milícias curdas na Síria.

“Sou um político, então estou acostumado a ser criticado por boa retórica com mau conteúdo. Mas no caso da OTAN é o contrário: temos tido uma má retórica e um conteúdo excelente”, disse o secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg, nesta terça-feira (3).

Emmanuel Macron também acusou a Turquia de trabalhar com afiliados do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e demais países) na Síria.

Presidente da França, Emmanuel Macron durante conferência de líderes da OTAN, em 4 de dezembro de 2019

© REUTERS / Henry Nicholls

Presidente da França, Emmanuel Macron durante conferência de líderes da OTAN, em 4 de dezembro de 2019

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, interferiu para aplacar as tensões entre os países.

“A OTAN tem sobrevivido porque nós sempre tivemos conversas francas”, disse Trudeau.

A Turquia exige que a OTAN classifique a milícia curda Unidades de Proteção Popular (YPG) como “organização terrorista”. As YPG são a componente fundamental das Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pelos EUA.

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e o secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, durante conferência de líderes da aliança, em 4 de dezembro de 2019

© REUTERS / Christian Hartmann

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e o secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, durante conferência de líderes da aliança, em 4 de dezembro de 2019

Os líderes da OTAN estão reunidos em Londres para uma cúpula celebrada entre os dias 3 e 4 de dezembro em Londres. Nesta terça-feira (3), os líderes foram recebidos no Palácio de Buckingham pela rainha Elisabeth II.

Na quarta-feira (4), nas reuniões de trabalho devem ser discutidos temas como a China, a segurança cibernética e a presença da OTAN no espaço.

Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/2019120414850455-abaixe-o-tom-mensagem-de-franca-e-alemanha-para-trump-durante-a-cupula-da-otan/

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 11 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.