China irá aplicar sanções a Nancy Pelosi por visita a Taiwan
5 de agosto de 2022
Ministério das Relações Exteriores da China anuncia contramedidas em resposta à visita de Nancy Pelosi a Taiwan
5 de agosto de 2022

Alegações da NASA sobre destroços espaciais chineses são contestadas

Observadores da indústria espacial asseguraram que queda de destroços do Long March 5B seguiram protocolos internacionais

5 de agosto de 2022, 06:45 h Atualizado em 5 de agosto de 2022, 06:58

www.brasil247.com - (Foto: China Daily via Reuters)

Leonardo Sobreira, de Guangzhou (247) – Observadores da indústria espacial rebateram acusações levantadas pelo administrador da NASA, Bill Nelson, de que destroços provenientes do foguete Long March 5B teriam colocado em risco a segurança de pessoas na Terra.

O Long March 5B foi lançado no dia 24 de julho da base de Wenchang, província de Hainan. Ele continha o módulo laboratorial Wentian, acoplado com sucesso ao módulo central Tianhe da estação espacial Tiangong na segunda-feira, 1, em uma conquista histórica para o programa espacial chinês.

Desde o lançamento, veículos de imprensa ocidentais divulgaram que destroços do foguete chinês cairiam desgovernadamente, podendo inclusive atingir áreas populadas em diversos países. A maior parte dos pedaços acabou queimando na atmosfera, com alguns caindo sobre os oceanos Índico e Pacífico.

Na esteira das versões replicadas pela imprensa ocidental, Nelson publicou uma nota no site da NASA alegando que a China “não compartilhou informações sobre a trajetória específica enquanto seu foguete Long March 5B caia sobre a Terra”. Ele também fez comentários sobre o “uso responsável do espaço” e “garantir a segurança das pessoas aqui na Terra”.

Yang Yuguang, vice-presidente do comitê de transporte espacial da Federação Internacional de Astronáutica, disse que as alegações de Nelson são infundadas e visam causar agitação contra o programa espacial da China. O observador da indústria espacial destacou que pelo menos 90% do Long March 5B era feito de um invólucro de metal fino e inflamável, que queimou na reentrada.

O número de componentes que podem suportar a pressão atmosférica e acabar na Terra é quase igual a qualquer outro tipo de foguete, assegura Yang.

Wu Peixin, um observador da indústria aeroespacial, disse que os Estados Unidos devem ser capazes de calcular a hora e a localização aproximada da reentrada na Terra do Long March 5B, uma vez que a China divulgou dados detalhados sobre esse foguete muitas vezes antes dele reentrar na atmosfera em ocasiões passadas.

Antes de retornar à Terra às 12h55 de domingo, a China postava uma atualização diária dos dados de órbita do foguete desde 27 de julho no site da Agência Espacial para os Voos Tripulados. (Com People’s Daily).

Fonte: https://www.brasil247.com/mundo/alegacoes-da-nasa-sobre-destrocos-espaciais-chineses-sao-contestadas

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois − um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.