Lula discursa para multidão, chama Moro de canalha e apresenta pauta contra governo de Bolsonaro
9 de novembro de 2019
Medo a Lula é medo da Democracia
11 de novembro de 2019

Caso Marielle: delegado é acusado de receber propina de R$ 400 mil para obstruir investigação

Um relatório da PF indica que o ex-chefe da Polícia Civil do Rio teria recebido propina de R$ 400 mil para obstruir as investigações do assassinato de Marielle e impedir que os milicianos culpados fossem descobertos

10 de novembro de 2019, 11:29 h

 

 

247 –  O delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa é suspeito, segundo em relatório da Polícia Federal, de ter recebido propina no valor de R$ 400 mil para obstruir as investigações e impedir que os milicianos culpados pelo assassinato de Marielle Franco e Anderso Gomes fossem descobertos.

Barbosa, que já chefiou a Polícia Civil do Rio, é citado em uma conversa telefônica como recebedor de propina, como consta no relatório da PF sobre o duplo assassinato de 18 de março de 2018, do qual são acusados os milicianos Ronnie Lessa e  Elcio Queiroz.

“Foram trazidas suspeitas de suposta corrupção envolvendo servidores da Delegacia de Homicídios [DH], especificamente sobre o então chefe da Polícia Civil, Rivaldo Barbosa, e servidores a ele relacionados, notadamente chefes da equipe de investigação da Delegacia de Homicídios”, afirmou o delegado federal Leandro Almada, em documento enviado no último dia 2 de maio ao MP-RJ.

O delegado Rivaldo Barbosa negou ao UOL a veracidade das acusações.

Fonte: https://www.brasil247.com/brasil/caso-marielle-delegado-e-acusado-de-receber-propina-de-r-400-mil-para-obstruir-investigacao?fbclid=IwAR3DTllbIloaZLMqxPMkXo8Q2tF5DLJeRpEBBHzML3vqglDWFWMCtDR1AD8

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.