Rússia lutará por sua independência e por um grande futuro, diz Putin
22 de setembro de 2022
Uma informação histórica sobre os valores dos combustíveis no Brasil
22 de setembro de 2022

China defende nova arquitetura de segurança para o Oriente Médio

Os problemas de segurança do Oriente Médio devem ser resolvidos de forma conjunta pelos países da região, sem a interferência de interesses distantes, defendeu a China

22 de setembro de 2022, 08:11 h Atualizado em 22 de setembro de 2022, 08:23

www.brasil247.com - Wang Yi Wang Yi (Foto: REUTERS/Shubing Wang)

Leonardo Sobreira, de Pequim (247) – O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, defendeu uma nova abordagem para a segurança do Oriente Médio, durante o 2º Fórum de Segurança do Oriente Médio, realizado pelo Instituto de Estudos Internacionais da China, em Pequim, na quarta-feira, 22.

Wang Yi destacou que a Iniciativa de Segurança Global deve informar os esforços pela paz na região do Oriente Médio. A Iniciativa foi proposta pelo presidente Xi Jinping em abril deste ano e se baseia em uma série de princípios, como segurança indivisível, respeito à soberania e à Carta da ONU e resolução pacífica de disputas.

Nesse sentido, o ministro afirmou que os problemas de segurança do Oriente Médio devem ser resolvidos de forma conjunta pelos países da região, sem a interferência de interesses distantes.

“Países do Oriente Médio estão conectados, e seus principais problemas estão ligados. Eles devem ser resolvidos de forma sistemática. Nenhum país deve buscar sua segurança de forma unilateral”, disse Wang Yi, segundo a mídia estatal.

“Não acreditamos haver um vácuo de poder na região. O povo do Oriente Médio é dono de seu próprio destino. O caminho a ser seguido deve ser definido pelos próprios países da região”, acrescentou.

Também participaram do Fórum o ex-primeiro-ministro da Palestina Rami Hamdallah e o ex-primeiro-ministro da Jordânia Adnan Badran. Eles saudaram as propostas da China como “consistentes” e “louváveis”.

A China goza de uma imagem melhor que os Estados Unidos no Oriente Médio, com grandes economias, como Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, estando entre os principais países para projetos da Iniciativa Cinturão e Rota.

Segundo o Barômetro Árabe, da Universidade de Princeton, divulgou na semana passada, de nove países pesquisados, apenas os territórios palestinos ocupados tinham menos de 49% de favorabilidade à China. Já os EUA tiveram uma favorabilidade superior a 47% em apenas quatro países –Marrocos, Sudão, Mauritânia e Jordânia.

Fonte: https://www.brasil247.com/mundo/china-defende-nova-arquitetura-de-seguranca-para-o-oriente-medio

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.