Global Times: egoísmo e manipulação dos EUA provocam desdolarização dos mercados mundiais
16 de agosto de 2022
Desemprego afeta 73 milhões de jovens em todo o mundo sobretudo mulheres
16 de agosto de 2022

China quer mais bebés e anuncia novas medidas de apoio à natalidade

País enfrenta crise demográfica depois de décadas a defender política de filhos únicos

País enfrenta crise demográfica depois de décadas a defender política de filhos únicos

Foto: Noel Celis / AFP

A China anunciou hoje novas medidas para incentivar as famílias a ter mais filhos, após ter aplicado rígidos controlos de natalidade durante mais de 30 anos, ao abrigo da política “um casal, um filho”.

O país mais populoso do planeta enfrenta agora uma crise demográfica, com a força de trabalho a envelhecer, uma economia em desaceleração e o menor crescimento populacional em décadas.

Apesar de as autoridades terem abolido a política de filho único em 2016, permitindo até três crianças por casal, os nascimentos continuaram a diminuir nos últimos cinco anos.

Na terça-feira, o ministério da Saúde pediu ao Governo central e às autoridades locais que gastem mais em saúde reprodutiva e melhorem os serviços de assistência à infância. Esses serviços são em grande parte insuficientes no país.

As autoridades locais devem “pôr em prática medidas ativas de apoio à fertilidade”, através de subsídios, deduções fiscais e melhores seguros de saúde, bem como educação, habitação e ajuda ao emprego para as famílias, defendeu o ministério.

As províncias também devem garantir que têm um número suficiente de creches até ao final do ano para crianças entre dois e três anos.

As cidades mais ricas da China já introduziram empréstimos para a habitação, incentivos fiscais, auxílios educacionais e até subsídios para encorajar as mulheres a terem mais filhos. As diretivas publicadas hoje parecem querer alargar esta política a todo o território.

A taxa de natalidade da China caiu, no ano passado, para 7,52 nascimentos por 1.000 pessoas, a menor desde que os registos começaram em 1949, segundo o Gabinete Nacional de Estatísticas chinês.

O maior custo de vida e propensão para famílias menores estão entre os motivos citados para esse declínio nos nascimentos. No início de agosto, as autoridades de saúde alertaram que a população da China vai diminuir até 2025.

Fonte: https://www.jn.pt/mundo/china-quer-mais-bebes-e-anuncia-novas-medidas-de-apoio-a-natalidade-15095326.html

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.