Coreia do Norte defende testes de mísseis e critica chefe da ONU: ‘Marionete dos EUA’

O presidente Joe Biden se reúne com o secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, durante a 77ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em 21 de setembro de 2022, na sede da ONU. - Sputnik Brasil, 1920, 21.11.2022

© AP Photo / Evan Vucci

A Coreia do Norte não gostou e reagiu aos comentários do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e de outras potências ocidentais sobre os testes de mísseis de Pyongyang.

Ministra das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Choe Son-hui acusou Antonio Guterres de “ignorar” os princípios da ONU.

A funcionária de Pyongyang defendeu os testes da Coreia do Norte, argumentando que foram um “exercício legítimo e justo do direito de autodefesa” diante de “ensaios de guerra nuclear provocativos”.

Choe Son-hui disse que o secretário-geral da ONU se comporta como “uma marionete dos Estados Unidos” por se juntar à condenação liderada pelos EUA do recente teste de míssil balístico intercontinental (ICBM).

Choe Son-hui, viceministra de Exteriores de Corea del Norte después de visitar el Ministerio de Asuntos Exteriores de Rusia - Sputnik Brasil, 1920, 21.11.2022

Choe Son-hui, vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, depois de visitar o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.. Foto de arquivo

© Sputnik / Vladimir Pesnya

/

Acessar o banco de imagens

“Muitas vezes considero o secretário-geral da ONU um membro da Casa Branca dos EUA ou de seu Departamento de Estado”, disse o ministra das Relações Exteriores da Coreia do Norte.

“Expresso meu profundo pesar pelo fato de o secretário-geral da ONU ter tomado uma atitude muito deplorável, alheio ao propósito e princípios da Carta da ONU. Sua missão adequada é manter a imparcialidade, objetividade e equidade em todos os assuntos”, concluiu.

Imagens mostrando lançamento de míssil feito pela Coreia do Norte (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 19.11.2022

Panorama internacional

Kim Jong-un: teste de ICBM demonstra capacidade da Coreia do Norte de conter ameaça nuclear

19 de novembro, 06:14

No sábado (20), Guterres divulgou um comunicado condenando veementemente o lançamento do ICBM pela Coreia do Norte na noite de sexta-feira (19). Ele fez um apelo para que Pyongyang “desista imediatamente de tomar quaisquer outras ações provocativas”.

A declaração de Guterres veio depois que Washington e outros governos emitiram críticas semelhantes ao teste ICBM da Coreia do Norte, que mostrou potencial para atacar em qualquer lugar nos EUA continentais.

O Conselho de Segurança da ONU agendou uma reunião de emergência sobre o lançamento do ICBM da Coreia do Norte para a manhã desta segunda-feira (22), a pedido do Japão.

Imagem de suposto lançamento de míssil norte-coreano, no dia 17 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 18.11.2022

Panorama internacional

Ministro da Defesa do Japão: míssil balístico lançado pela Coreia do Norte poderia ter alcançado EUA

18 de novembro, 04:03

O lançamento do ICBM de sexta-feira foi o mais recente na tórrida série de testes de mísseis da Coreia do Norte que, segundo especialistas, visam aumentar sua capacidade nuclear e aumentar sua influência na diplomacia.

A Coreia do Norte disse que o líder Kim Jong-un observou o lançamento, na sexta-feira (19), do míssil Hwasong-17. O chefe de Estado disse que a arma servirá para conter ameaças militares dos EUA.

Especialistas dizem que o Hwasong-17 ainda está em desenvolvimento, mas é o míssil de maior alcance da Coreia do Norte e foi projetado para transportar várias ogivas nucleares para superar os sistemas de defesa antimísseis dos EUA.

Dois bombardeiros B-1B e quatro caças F-16 americanos, e quatro caças F-16 sul-coreanos, durante exercício aéreo Vigilant Storm, na Coreia do Sul, 5 de novembro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.11.2022

EUA destacam 2 bombardeiros supersônicos após teste de míssil da Coreia do Norte (FOTOS, VÍDEO)

Ontem, 11:24

Fonte: https://sputniknewsbrasil.com.br/20221121/coreia-do-norte-defende-testes-de-misseis-e-critica-chefe-da-onu-marionete-dos-eua-26032173.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 2 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.