Rússia proíbe entrada de Biden e mais 962 americanos no país
22 de maio de 2022
‘Quase um quarto’ da humanidade pode passar fome, diz líder europeu
22 de maio de 2022

‘Destruidor da paz mundial’: Biden é recebido sob protestos na Coreia do Sul

A visita de Biden e as ações recentes na região do Indo-Pacífico levantaram preocupações crescentes de que a Coreia do Sul possa se alinhar com os EUA

21 de maio de 2022, 16:41 h Atualizado em 21 de maio de 2022, 16:53

www.brasil247.com - Presidente dos EUA, Joe Biden, retorna à Casa Branca
01/05/2022
REUTERS/Elizabeth Frantz Presidente dos EUA, Joe Biden, retorna à Casa Branca 01/05/2022 REUTERS/Elizabeth Frantz (Foto: ELIZABETH FRANTZ)

Sputnik – O presidente dos EUA, Joe Biden, chegou a Seul na sexta-feira (20), em sua primeira viagem à Ásia desde que tomou posse.

Em sua primeira cúpula junto ao presidente sul-coreano recém empossado, Yoon Suk-yeol, analistas manifestaram preocupação com o uso político do governo norte-americano para ameaçar a paz na região, de acordo com o Global Times.

Segundo o Yonhap News, depois que Biden chegou, ele e Yoon visitaram uma fábrica de chips da Samsung em Pyeongtaek, “ressaltando o compromisso dos dois países em trabalhar juntos para fortalecer as cadeias de suprimentos”.

Neste sábado (21), os presidentes vão se reunir novamente para discutir toda a gama de desafios econômicos e de segurança que eles e a região enfrentam. Alguns observadores, no entanto, disseram que tais acordos ressaltam o esquema de Biden para atrair a Coreia do Sul para suas estratégias de conter a China.

Ainda na quarta-feira (18), o conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan, disse que Biden pretendia aproveitar a viagem à Ásia para afirmar a “liderança americana ousada e confiante” no Indo-Pacífico, o que enviaria uma mensagem à China de que o Ocidente e seus parceiros asiáticos não vão ser divididos e enfraquecidos.

Na sexta-feira, em resposta à viagem do presidente norte-americano e às declarações de Sullivan, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, disse em entrevista coletiva que a China espera que as ações dos EUA estejam alinhadas com suas declarações, instando os Estados Unidos a trabalhar com os países regionais para cooperação e não conspirar para divisões ou confrontos, ou ainda, trazer caos à região.

A visita de Biden e as ações recentes na região do Indo-Pacífico levantaram preocupações crescentes de que a Coreia do Sul possa se alinhar com os EUA e abandonar seu equilíbrio anterior entre Pequim e Washington.

Antes da visita de Biden, alguns internautas sul-coreanos postaram suas preocupações nas mídias sociais, dizendo que não dariam as boas-vindas a Biden se ele viesse com o objetivo de sacrificar os interesses da Coreia do Sul por seu propósito geopolítico.

Segundo o Korea Times, na sexta-feira, vários protestos foram realizados perto do hotel no Monte Nam, onde Biden está hospedado durante sua visita a Seul. Apesar de um grupo de 40 apoiadores terem dado às boas vindas ao líder norte-americano, cerca de 60 manifestantes se opuseram à sua presença e seguravam faixas, que chamavam Biden de “destruidor da paz mundial”.

Da também observou que o conflito entre Rússia e Ucrânia mudou a mentalidade de algumas pessoas na Coreia do Sul e as fez pesar a segurança sobre os benefícios econômicos o que também teria demonstrado à China, que é preciso manter um bom comércio bilateral com o país para afastar a possível influência norte-americana.

Fonte: https://www.brasil247.com/mundo/destruidor-da-paz-mundial-biden-e-recebido-sob-protestos-na-coreia-do-sul

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.