Depois de vetar até água para aldeias, Bolsonaro diz que seu governo está salvando indígenas na pandemia
12 de agosto de 2020
Pesquisa aponta que 97,88% juristas do Brasil consideram que Moro cometeu violações ao sentenciar Lula
15 de agosto de 2020

Em delação, Dario Messer envolveu ex-procurador da Lava Jato Janurário Paludo, mas PGR arquivou denúncia

O “doleiro dos doleiros” denunciou à PGR detalhes de um esquema de pagamento de propina ao então procurador da força-tarefa de Curitiba Januário Paludo, mas a denúncia foi arquivada pela PGR

13 de agosto de 2020, 19:00 h Atualizado em 13 de agosto de 2020, 19:12

Dario Messer e Januário Paludo Dario Messer e Januário Paludo (Foto: Reprodução)

247 – O doleiro Dario Messer, conhecido como “o doleiro dos doleiros”, delatou o ex-procurador da Lava Jato de Curitiba Januário Paludo com detalhes de um esquema de pagamento de propina ao servidor do Ministério Público Federal, informou a CNN Brasil. A denúncia foi descartada pela Procuradoria Geral da República.

O documento com a denúncia foi entregue por Messer ao Ministério Público do Rio de Janeiro, que avaliou não ter competência legal para investigar o procurador. A acusação foi então encaminhada à Procuradoria Geral da República, em Brasília, que acabou arquivando a acusação. A denúncia, portanto, acabou não entrando no acordo final de delação premiada do doleiro.

Januário Paludo atuou como testemunha de defesa de Dario Messer, em Ação Penal do Ministério Público Federal, no dia 3 de fevereiro de 2011. No seu depoimento, o então procurador alegou que não foi identificado nenhum envolvimento do doleiro Messer com as contas da Banestado – caso em que o nome do doleiro foi mencionado 276 vezes e no qual é apontado como o cabeça central do esquema.

Em novembro de 2019, foi divulgada uma conversa interceptada pela Polícia Federal, entre Messer e sua namorada, em que ele revelava pagamento mensal de propina a Januário Paludo. A propina, segundo o doleiro, seria para evitar que ele fosse investigado.

Januário Paludo é um dos mais antigos integrantes da força-tarefa da Lava Jato e também um dos mais experientes. Conversas vazadas do aplicativo Telegram pela Vaza Jato demonstraram que ele também exercia influência sobre os colegas. Demonstração disso é o nome de um dos grupos dos procuradores: “filhos de Januário”.

Fonte: https://www.brasil247.com/brasil/em-delacao-dario-messer-envolveu-ex-procurador-da-lava-jato-janurario-paludo-mas-pgr-arquivou-denuncia

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 17 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.