Lula tem 19ª decisão favorável na Justiça
13 de setembro de 2021
China usará tecnologia blockchain para realizar plano piloto de comércio de energia verde
13 de setembro de 2021

Investigação: empregados ‘fantasmas’ de Carlos Bolsonaro tinham cadastro com antigo endereço do pai

© Folhapress / Pedro Ladeira

Brasil

11:16 13.09.2021URL curta

0 0 0

Nos siga no

No âmbito das investigações sobre o esquema de rachadinha, o Ministério Público descobriu que quatro pessoas que trabalharam no gabinete do vereador estavam cadastradas na Receita e na Câmara em antiga morada do presidente.

De acordo com a Folha de São Paulo, quatro pessoas suspeitas de serem “funcionários fantasmas” no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), constavam no cadastro da Receita Federal e da Câmara Municipal do Rio de Janeiro como tendo a mesma morada, a qual remete a um antigo endereço do chefe do Executivo.

O endereço cadastrado na Receita e na Câmara é o local para onde são encaminhadas eventuais comunicações fiscais e administrativas dos funcionários do vereador, segundo a mídia.

Neste caso, o endereço remete a uma antiga morada do chefe do Executivo quando ainda era casado com Ana Cristina Valle, investigada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) sob suspeita de ser a articuladora do esquema de “rachadinha” no gabinete do vereador.

A suspeita dos promotores é de que Carlos mantinha em seu gabinete um esquema semelhante ao atribuído ao senador, e seu irmão, Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), pelo qual foi denunciado sob acusação de liderar uma organização criminosa, lavagem de dinheiro, peculato e apropriação indébita.

No começo de setembro, Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, ex-assessor de Flávio, contou que quando trabalhou no gabinete do senador na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ), era obrigado a entregar 80% do seu salário entre outros montantes para Ana Cristina, conforme noticiado.

Ana Cristina Valle (ao centro), ex-mulher de Bolsonaro que supostamente gerenciava o esquema de rachadinha, em campanha para o presidente (foto de arquivo)

© Folhapress / Eduardo Anizelli

Ana Cristina Valle (ao centro), ex-mulher de Bolsonaro que supostamente gerenciava o esquema de rachadinha, em campanha para o presidente (foto de arquivo)

A antiga casa de Bolsonaro que consta nos endereços dos ex-servidores fica na rua Professor Maurice Assuf, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. O imóvel foi adquirido pelo presidente e a ex-mulher em 2002, com o mandatário declarando morar no endereço ao menos em duas oportunidades, em 2002 e 2006, segundo a mídia.

De acordo com o MP-RJ, esse mesmo endereço consta nos cadastros de Gilmar Marques (ex-cunhado de Ana Cristina), André Luís Procópio (irmão de Ana Cristina), Andrea Siqueira Valle (irmã de Ana Cristina) e Marta da Silva Valle (cunhada de Ana Cristina).

Carlos afirmou, quando a quebra de sigilo sobre o caso foi divulgada, que a apuração se tratava de “fatos requentados”, conforme publicado.

“Na falta de fatos novos, requentam os velhos que obviamente não chegaram a lugar nenhum e trocam a embalagem para empurrar adiante a narrativa”, disse o vereador.

A defesa de Ana Cristina não se pronunciou.

Fonte: https://br.sputniknews.com/brasil/2021091318012886-investigacao-empregados-fantasmas-de-carlos-bolsonaro-tinham-cadastro-com-antigo-endereco-do-pai/

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.