Pânico em Washington: míssil apocalíptico chinês pode atingir EUA em apenas 30 minutos
11 de julho de 2020
‘Não nos renderemos’: Teerã promete produzir mais petróleo apesar das sanções dos EUA, diz ministro
12 de julho de 2020

Irã reforçará apoio militar à Síria

Vídeo: Irã apoiará a Síria com defesa aérea para repelir ataques americanos e israelenses

O Irã ajudará a fortalecer as capacidades de defesa aérea da Síria como parte de um acordo mais amplo de segurança militar entre os dois países, afirmou o presidente dos chefes do Estado Maior das Forças Armadas Iranianas, general Mohammad Baqeri, em 8 de julho. A declaração foi feita após a assinatura do um novo acordo de cooperação militar em Damasco.

O acordo prevê a expansão da cooperação militar e de segurança e a continuação da coordenação entre as Forças Armadas dos dois países. O major-general Baqeri disse que o acordo assinado “aumenta nossa vontade de trabalhar juntos diante da pressão dos EUA”.

“Se as administrações americanas pudessem subjugar a Síria, o Irã e o eixo de resistência, não teriam hesitado nem por um momento”, disse ele.

O principal general enfatizou que Israel é um “parceiro poderoso” dos EUA na guerra contra a Síria, alegando que grupos terroristas constituíam parte da agressão israelense.

Por sua vez, os Estados Unidos e Israel insistem que o Irã e o Hezbollah são responsáveis ​​pela desestabilização da Síria e preparam o que chamam de “ataques terroristas” contra os EUA e Israel. No âmbito dessa abordagem, Israel, com ajuda direta e indireta dos EUA, realiza regularmente ataques a vários supostos “alvos iranianos” em toda a Síria. Freqüentemente, esses ataques coincidem com ataques em larga escala de grupos ligados à Al Qaeda e do ISIS a posições do exército sírio e de seus aliados. Um dos principais pontos de preocupação israelense é a crescente infraestrutura militar das forças pró-iranianas perto de al-Bukamal, na fronteira entre Síria e Iraque. Portanto, a medida anunciada pelo Irã para aumentar as defesas aéreas da Síria, incluindo a possível implantação de sistemas adicionais de defesa aérea, é um passo lógico para eles tomarem para proteger seus próprios interesses.

Confrontos entre o exército sírio e militantes apoiados pela Turquia estavam em andamento no oeste de Aleppo, no final de 8 de julho e no início de 9 de julho. Segundo fontes pró-militantes, o exército destruiu pelo menos um trator e matou 2 membros da Frente Nacional de Libertação. Os procuradores turcos insistem que seus ataques com morteiros em posições do exército também levaram a baixas.

No sul de Idlib, o exército sírio bombardeou posições de Hayat Tahrir al-Sham perto de Ruwaihah, depois que o grupo terrorista enviou reforços adicionais lá sob a cobertura do regime de cessar-fogo. Na manhã de 9 de julho, as unidades de Hayat Tahrir al-Sham continuaram sua implantação na área. Desde a assinatura do acordo de cessar-fogo de 5 de março entre a Turquia e a Rússia, Hayat Tahrir al-Sham trabalha abertamente para fortalecer suas posições no sul de Idlib. Apesar dos sucessos na condução de patrulhas russo-turcas ao longo da rodovia M4, que chegou a Jisr al-Shughur, a rodovia em si e a área da zona de segurança acordada permanecem nas mãos de militantes do Idlib.

Fontes pró-ISIS alegaram que as células do grupo terrorista emboscaram uma unidade de forças pró-governo no deserto de Homs-Deir Ezzor, destruindo pelo menos um veículo. Essas alegações ainda precisam ser confirmadas. No entanto, a situação na Síria central se deteriorou recentemente devido ao aumento dos ataques do ISIS e as forças do governo agora estão realizando operações de segurança ativas no local.

*

South Front

Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.com/

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − oito =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.