Boicote ao dólar? Rússia e UE impulsionam acordos em moedas nacionais
12 de fevereiro de 2020
Petistas destacam importância histórica do encontro entre o Papa Francisco e Lula
13 de fevereiro de 2020

Marinha dos EUA quer adquirir mais navios, mas não tem recursos para isso, diz contra-almirante

 

USS Mount Whitney, navio da sexta frota dos EUA (imagem de arquivo)

© AP Photo / Efrem Lukatsky

Defesa

06:51 12.02.2020(atualizado 08:18 12.02.2020) URL curta

550

Nos siga no

O orçamento do ano fiscal de 2021 da Marinha dos EUA retirou 10 navios da programada incorporação nos próximos cinco anos.

Segundo um alto funcionário desta entidade militar, a decisão demonstra o compromisso para não esvaziar o orçamento da Marinha com a aquisição de novos navios.

“É o que podemos pagar”, disse o contra-almirante Randy Crites, vice-secretário adjunto da Marinha para o orçamento. “Não podemos esvaziar o orçamento da Marinha. Temos de continuar na trajetória em que estamos, para recuperar a nossa prontidão.”

Uma nota oficial obtida pelo portal Defence News, enviada pelo Gabinete de Gestão e Orçamento da Casa Branca para o Departamento da Defesa, revela cortes dramáticos no programa de destróieres da classe Arleigh Burke, retirando 5 navios desta classe dos 12 anteriormente propostos para o período de cinco anos.

Um dos dois submarinos de ataque nuclear da classe Virginia será também excluído do orçamento para 2021, além de reduzir a compra do programa de 20 fragatas de mísseis, encomendando apenas uma em 2021 e 2022, em vez das duas previstas anualmente.

Segundo o site oficial da Marinha, a Frota dos EUA é composta por 294 navios. Com o novo orçamento, o número de embarcações aumentaria para 305 no fim de 2021, de acordo com o programa da defesa para os próximos anos.

Anteriormente o comandante da 2ª Frota da Marinha dos EUA disse que a Rússia aumentou o número de patrulhas de seus submarinos na região do Atlântico, o que diminuiria o domínio norte-americano na região.

China aumenta sua frota naval a grande velocidade

Em janeiro, a Marinha da China comissionou o navio Nanchang, o primeiro destróier de 10 mil toneladas da classe Type 055. Atualmente, ao menos mais cinco do tipo estão em construção, revela a publicação Forbes. Além disso, em dezembro de 2019 o gigante asiático comissionou o porta-aviões Shandong e diversas outras embarcações militares.

O último orçamento destinado à Marinha norte-americana é muito menor do que os dos anos anteriores, enquanto os estaleiros chineses continuam a desenvolver embarcações cada vez mais modernas para atender às ambições da China em regiões marítimas disputadas.

Fonte: https://br.sputniknews.com/defesa/2020021215207057-marinha-dos-eua-quer-adquirir-mais-navios-mas-nao-tem-recursos-para-isso-diz-contra-almirante/

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 5 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.