Moeda do BRICS substituirá o dólar?

Cédulas de dólar norte-americano - Sputnik Brasil, 1920, 03.06.2023

© Sputnik / Aleksei Sukhorukov

Nos siga noTelegram

A moeda de reserva proposta pelo BRICS poderia garantir a estabilidade econômica global, protegendo as nações das sanções ocidentais e crises financeiras, disse à Sputnik Ashraf Patel, pesquisador sênior associado do Instituto para o Diálogo Global e membro da Rede de Think Tank do BRICS na África do Sul.

O grupo BRICS solicitou orientação ao Novo Banco de Desenvolvimento de Xangai sobre como uma potencial nova moeda comum poderia facilitar o desenvolvimento da economia global e proteger os membros do grupo das sanções ocidentais. A este respeito, uma moeda única do BRICS poderia substituir o dólar americano, segundo observadores internacionais.

“O mundo está envolvido em muitas fraturas geopolíticas de múltiplos níveis”, disse Ashraf Patel à Sputnik.

“O BRICS tem o potencial de proporcionar uma ‘estabilidade econômica de base ampla’ nos assuntos mundiais, ao mesmo tempo em que cria plataformas alternativas em áreas-chave, sendo uma delas a moeda de reserva do BRICS.”

“Uma moeda de reserva do BRICS é uma possibilidade muito promissora. Trabalhando em níveis bilaterais (China-Brasil, etc.) e níveis regionais (Brasil-Argentina), pode aumentar os fluxos comerciais”, observou ele.

“Como a crise do teto da dívida dos EUA nos últimos meses mostrou, o sistema financeiro doméstico dos EUA é insustentável, e essa dívida é exportada globalmente através de guerras comerciais, etc. Então sim, o espaço para moeda alternativa é mais viável no mundo atual de 2023“, acrescentou.

Qual é o propósito de uma moeda do BRICS?

Em 1º de junho, o BRICS – a sigla para Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – reuniu os ministros das Relações Exteriores do bloco, bem como seus homólogos de países como Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos (EAU), Egito e Cazaquistão para uma cúpula de dois dias na Cidade do Cabo.

Ministros das Relações Exteriores dos países-membros do BRICS na África do Sul, 1º de junho de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 02.06.2023

Panorama internacional

Ministros do BRICS discutem necessidade de nova moeda única em meio à desdolarização

Ontem, 10:33

Em janeiro, o bloco anunciou que pode em breve explorar a possibilidade de criar sua própria moeda para contornar o dólar americano. Acredita-se que as sanções generalizadas do Ocidente contra a Rússia, incluindo o corte da nação do SWIFT e o congelamento de seus ativos do Banco Central, se tornem um alerta para as economias emergentes em todo o mundo. Mas poderia o dólar americano ser substituído como moeda mundial?

O conceito de moeda única do BRICS foi articulado pelo ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, durante sua viagem à África no final de janeiro de 2023. Na mesma época, o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, discutiu o assunto com seu homólogo argentino, Alberto Fernández.

Desde então, os membros do BRICS têm discutido se o dólar pode ser substituído como moeda global. As nações do BRICS apresentaram várias propostas, incluindo que a nova moeda comum possa ser garantida não apenas pelo ouro, mas também por outros grupos de produtos, como elementos de terras raras.

De acordo com Lula, chegou a hora de as nações da América Latina e do BRICS se afastarem do dólar para impulsionar o comércio multilateral e o desenvolvimento econômico do Sul Global.

Quem decidiu que o dólar era a moeda [comercial] após o fim da paridade do ouro?”, perguntou retoricamente o presidente brasileiro durante sua visita ao Novo Banco de Desenvolvimento em abril.

Mauro Vieira (à esquerda) e Sergei Lavrov (à direita), ministros das Relações Exteriores do Brasil e da Rússia, respectivamente, se cumprimentam no âmbito de chanceleres dos Estados-membros do BRICS na Cidade do Cabo, África do Sul, 2 de junho de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 02.06.2023

Panorama internacional

Mauro Vieira se encontra com Lavrov na África do Sul para discutir pauta russo-brasileira (VÍDEO)

Ontem, 11:03

Como a moeda funcionará?

Em julho de 2014, os países do BRICS criaram o Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), uma organização financeira internacional cujo principal objetivo era financiar projetos de infraestrutura dos Estados-membros do bloco. No entanto, ele também atua como uma alternativa ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para os países em desenvolvimento.

Se a ideia de uma única moeda do BRICS se materializar, o NBD poderia se tornar uma espécie de centro de compensação, que simplificaria a questão dos pagamentos para entregas mútuas de mercadorias, de acordo com o ministro das Finanças russo Anton Siluanov.

De acordo com observadores econômicos russos, uma moeda única do BRICS poderia inicialmente desempenhar o papel de uma unidade de conta para pagamentos em moedas nacionais e conversão sem o uso do dólar.

No entanto, no futuro poderia se tornar um meio de pagamento e receber o status de moeda de reserva não apenas para os membros do bloco, mas também para outros Estados.

O valor da nova moeda única pode ser determinado com base num “cabaz de moedas” dos países participantes na “união monetária do BRICS”. O peso de uma moeda individual na cesta seria determinado dependendo do produto interno bruto (PIB), do ouro e das reservas cambiais do Estado, bem como de sua balança comercial e do tamanho da dívida pública.

Notas de dólar são depositadas em uma caixa de depósito em Nova York, 24 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 30.05.2023

Panorama internacional

Acordo do teto da dívida não significa que a economia dos EUA está fora de perigo, diz especialista

30 de maio, 07:52

Uma moeda do BRICS é possível?

O economista russo Mikhail Khazin disse à Sputnik no final de janeiro que espera uma mudança gradual para a potencial moeda comum do BRICS. Segundo ele, haveria o surgimento de várias novas zonas monetárias primeiro e, somente depois disso, em cerca de dez anos, uma única moeda do BRICS emergiria como uma “superestrutura”, semelhante ao euro.

Khazin ressaltou que atualmente seria lógico começar a criar um sistema de pagamento único para as nações do BRICS contornarem as sanções ocidentais no comércio multilateral. Notavelmente, tal sistema, chamado BRICS Pay, foi proposto em 2018. A plataforma de pagamentos digitais está sendo desenvolvida em conjunto pelos países-membros do bloco.

Falando à Sputnik no início de maio, Pepe Escobar, analista geopolítico e jornalista veterano, sugeriu que a desdolarização está caminhando para um avanço devido ao crescente descontentamento global com o “capitalismo de cassino” dos EUA. Assim, a moeda única do BRICS pode ser útil.

A moeda do BRICS é uma ameaça?

Durante a reunião na Cidade do Cabo, o ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov enfatizou que, em contraste com os grupos centrados no Ocidente, “o BRICS é uma nova organização baseada nos princípios de igualdade, respeito mútuo, consenso, não intervenção e estrita adesão à Carta da ONU em todos os seus princípios e em todos os seus relacionamentos”.

“As nações do BRICS são coerentes em termos de uma ordem de equilíbrio mais inclusiva e necessidade de reformas substantivas“, apontou Ashraf Patel.

A abordagem inclusiva do bloco provou ser eficaz, embora as nações do BRICS tenham algumas diferenças na cultura e na abordagem do engajamento com o Ocidente e o Sul em desenvolvimento, segundo ele.

“A China é um líder claro em termos de desenvolvimento substantivo e financiamento de infraestrutura globalmente”, disse Patel.

“A Rússia é um ator importante globalmente, nos mercados de energia e na região eurasiana e politicamente mudou para leste. A Índia está tomando uma postura mais pró-ocidental, especialmente em relação aos recentes compromissos ativos e acordos com o G7, Austrália, Quad, etc. A África do Sul e o Brasil sob Lula são mais a favor do terceiro mundo e do Sul em desenvolvimento e tomam mais posições não alinhadas nos assuntos mundiais. À medida que a expansão dos membros do BRICS cresce, pode ficar mais interessante, oferecendo mais possibilidades.

Esta fotografia tirada em 9 de fevereiro de 2023 mostra uma nota de yuan chinês e notas de dólar americano em Moscou. - Sputnik Brasil, 1920, 31.05.2023

Panorama internacional

Iminência da desdolarização: como a perda de influência do dólar afetará as relações internacionais?

31 de maio, 14:08

A reunião da Cidade do Cabo, que será seguida por uma cúpula de 22 a 24 de agosto dos chefes de Estado do BRICS, se concentrou em questões econômicas e geopolíticas, incluindo uma maior expansão. Atualmente, cerca de 19 países aspiram a aderir ao bloco.

De acordo com Lavrov, esse interesse crescente decorre do fato de que o bloco “simboliza a evolução do mundo multipolar, que está sendo discutido cada vez mais”.

A rápida expansão do BRICS é amplamente vista como mais um pré-requisito para a criação de uma moeda comum, que não só serviria como uma alternativa viável ao dólar americano, mas também garantiria a estabilidade econômica global baseada em uma abordagem ganha-ganha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + treze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.