Partido Comunista da China anuncia novo ciclo de crescimento, modernização socialista e política externa de paz, diz diplomata

Ministro Jin Hongjun, Encarregado de Negócios da Embaixada da República Popular da China no Brasil, concedeu entrevista ao Brasil 247

www.brasil247.com - Jin Hongjun Jin Hongjun (Foto: Reprodução)

247 – Em entrevista por email ao jornalista José Reinaldo Carvalho, editor internacional do Brasil 247, o Ministro Jin Hongjun, Encarregado de Negócios da Embaixada da República Popular da China no Brasil, falou sobre as principais decisões do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China, realizado em outubro último, o significado da modernização socialista do país, a política externa chinesa, mostrou a essência do Pensamento de Xi Jinping sobre a Construção do Socialismo com Características Chinesas na Nova Era e salientou o caráter de parceria estratégica global das relações com o Brasil

Brasil 247 – Qual a importância e o impacto do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China para o desenvolvimento econômico e social do país e sua modernização socialista?

Ministro Jin Hongjun – O 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China é um evento importante num momento crucial em que a China embarca em uma nova jornada de desenvolvimento. Os principais resultados do Congresso deram-se em três vertentes: na vertente política, o Congresso elegeu uma nova liderança central tendo o secretário-geral Xi Jinping como núcleo e estabeleceu a posição orientadora do Pensamento de Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Era. Na vertente teórica, explicou sistematicamente a teoria da modernização de estilo chinês e abriu um novo horizonte para adaptar o marxismo à realidade chinesa. Na vertente das ações, definiu a tarefa central do Partido Comunista da China na nova era e traçou planos estratégicos para o desenvolvimento de trabalhos da China em todas as frentes no próximo período.

A China tem como principal prioridade o desenvolvimento de alta qualidade, em outras palavras, busca o equilíbrio entre a efetiva melhora qualitativa e um razoável aumento quantitativo, seguindo o novo conceito pautado nos parâmetros de inovação, coordenação, sustentabilidade, abertura e compartilhamento. Implementa a estratégia de fortalecer o país mediante a ciência e a educação, enquanto cria novos motores e vantagens de crescimento. As ações do governo são voltadas para a população, buscando um aperfeiçoamento do sistema de distribuição de renda para viabilizar a prosperidade comum de todas as pessoas. Promovem uma abertura mais ampla, abrangente e profunda ao exterior e constroem uma economia mundial mais aberta e compartilhada.

As diretrizes traçadas no 20.o Congresso anunciam um novo ciclo de crescimento mais robusto e de melhor qualidade, e injetam mais certeza e estabilidade no cenário mundial.

Qual o impacto internacional do Congresso para o multilateralismo, o desenvolvimento compartilhado das nações e povos e a paz mundial?

Hoje em dia, a conjuntura internacional e o contraste de poder evoluem a um ritmo acelerado, ao passo que o sistema e a ordem internacionais passam por reajustes profundos. É irreversível o processo da democratização das relações internacionais, enquanto a paz, o desenvolvimento, a cooperação e os ganhos mútuos constituem a tendência do nosso tempo. No entanto, movimenta-se também a contracorrente da mentalidade de Guerra Fria e do unilateralismo. Diante das transformações raramente vistas em um século, o 20.o Congresso, ao fazer um balanço sistemático e um resumo da diplomacia de grande país com características chinesas, apresentou uma série de afirmações importantes que terão influências de longo alcance sobre a paz, o progresso e a estabilidade do mundo.

Primeiro, não será alterada a aspiração primordial da China em manter a paz mundial. A política externa da China é pautada na independência, na autonomia e na paz, defende as normas basilares das relações internacionais e preserva a equidade e a justiça internacionais. Repudia toda forma de hegemonismo e política de poder, assim como a mentalidade da Guerra Fria, a interferência nos assuntos internos alheios e a adoção de duplo critério. A China jamais buscará hegemonia ou expansão.

Segundo, não serão alteradas as ações da China em busca do progresso comum. A China desenvolve a amizade e a cooperação com outros países com base nos cinco princípios de coexistência pacífica e, aprofunda e amplia a parceria global pautada na igualdade, abertura e cooperação. Empenha-se em aumentar a convergência de interesses com outros países e em defender os interesses comuns das nações em desenvolvimento. Para tanto, a China propôs as iniciativas de Desenvolvimento Global e de Segurança Global, destinadas a promover o crescimento global inclusivo com benefícios para todos, alcançar o desenvolvimento humano integral, manter efetivamente a paz e a tranquilidade do mundo e fornecer à comunidade internacional soluções chinesas para diversos desafios tradicionais e não-tradicionais.

Terceiro, não será alterada a determinação da China em praticar o multilateralismo genuíno. Resolver as questões do nosso tempo exige a manutenção e a prática de um multilateralismo genuíno. A China está disposta a trabalhar com os demais países para viabilizar a reforma e construção do sistema de governança global sob uma estrutura multilateral, tornando-o cada vez mais justo e razoável. A China promove também a igualdade de direitos, de oportunidades e de regras para todos os países na busca de um futuro melhor para a humanidade.

Qual o significado do Pensamento do Presidente Xi sobre a construção do socialismo com características chinesas na Nova Era para o desenvolvimento da teoria marxista?

O Pensamento de Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Era é a mais recente conquista teórica do Partido Comunista da China na defesa e no desenvolvimento do marxismo em novas circunstâncias ao incorporar uma série de perspectivas ideológicas originais e estratégicas. Portanto, é o marxismo condizente com a China contemporânea e o século 21.

Antes de mais nada, o Pensamento de Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Era adere aos princípios básicos do marxismo e do socialismo científico, assim como às ideias marxistas de emancipar a mente, buscar a verdade nos fatos e avançar com o tempo. Aplica a visão de mundo e a metodologia do materialismo dialético e do materialismo histórico para observar o cenário mundial, liderar os tempos e orientar a prática, refletindo as distintas qualidades teóricas do marxismo.

Em segundo lugar, o Pensamento de Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Era mantém-se a par dos tempos e, com base na realidade chinesa, apresenta novas afirmações como a teoria da centralidade do povo, a teoria das mudanças nas principais contradições da sociedade, a teoria da modernização do sistema e da capacidade de governança nacional, a teoria de um novo tipo de relações entre países grandes e a teoria da comunidade de futuro compartilhado para a humanidade. São teorias originais com avanços na visão de mundo, na epistemologia, na metodologia e na axiologia. São marcos importantes da modernização do marxismo e sua adaptação às condições na China, trazendo novas referências teóricas e empíricas para que os países em desenvolvimento possam alcançar a modernização.

Além disso, o Pensamento de Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Era manifesta uma visão humanista, defende o intercâmbio e o aprendizado mútuo entres as civilizações, lidera a tendência dos tempos de paz, desenvolvimento, cooperação e ganhos para todos, e promove a construção de uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade. Ele transcende a mentalidade ocidental de confronto e da Guerra Fria, traz a sabedoria e as soluções chinesas para os desafios globais e para os problemas comuns de toda a humanidade. Tudo isso aumentou a influência e o apelo do marxismo no mundo e terá um significado de longo alcance para a história do desenvolvimento da sociedade humana.

Com a realização exitosa do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China e a eleição de Lula como presidente do Brasil, como o Sr. vê as perspectivas de desenvolvimento da Parceria Estratégica Global entre os dois países no novo período?

China e Brasil são países de relevância internacional e representantes das economias emergentes. Numa conjuntura internacional repleta de incerteza e instabilidade, é ainda mais importante que nossos dois países se fortaleçam juntos e aprofundem a parceria bilateral. Depois do 20.o Congresso, a China tem metas de desenvolvimento bem definidas e uma perspectiva ainda mais promissora. Isso trará novas oportunidades às relações sino-brasileiras.

A China considera o Brasil um importante parceiro estratégico global e mantém com clareza e firmeza a política de aprofundar o relacionamento bilateral. Acreditamos no futuro das relações sino-brasileiras, e vamos trabalhar para aumentar ainda mais a confiança mútua e ampliar a cooperação bilateral de melhor qualidade, em áreas mais amplas e com maior dinamismo. Vamos também manter amplos contatos com todos os setores da sociedade brasileira para fomentar o entendimento e a amizade entre chineses e brasileiros, assim como unir forças para crescer a passos largos.

Fonte: https://www.brasil247.com/mundo/partido-comunista-da-china-anuncia-novo-ciclo-de-crescimento-modernizacao-socialista-e-politica-externa-de-paz-diz-diplomata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + dezoito =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.