Lula: "Defendo a alternância de poder também para a Venezuela"
23 de agosto de 2022
Acordo Mercosul–UE ‘não é válido’ e deve ser renegociado, diz Lula
23 de agosto de 2022

Partidários e opositores de Cristina Kirchner realizam manifestações sobre pedido de prisão para a vice-presidente

De acordo com a imprensa local, as mobilizações duraram várias horas e a polícia até teve que intervir

23 de agosto de 2022, 05:07 h Atualizado em 23 de agosto de 2022, 05:19

www.brasil247.com - (Foto: Divulgação)

ARN Depois que os promotores argentinos Diego Luciani e Sergio Mola solicitaram nesta segunda-feira (22), a pena de 12 anos de prisão para Cristina Fernández de Kirchner, foram registrados incidentes em frente à casa da vice-presidente argentina devido a encontros entre manifestantes a favor e contra o pedido de prisão.

De acordo com a imprensa local, as mobilizações duraram várias horas e a polícia até teve que intervir. Vários incidentes eclodiram tanto entre os manifestantes quanto com a força pública.

Uma vez conhecida a decisão, várias pessoas do bairro da Recoleta, onde fica a casa de Cristina, estiveram presentes para comemorar a decisão, mas, horas depois, os militantes a favor da vice-presidente também compareceram e houve momentos de tensão.

A própria vice-presidente publicou em sua conta no Twitter que a polícia da cidade de Buenos Aires reprimiu “com paus, spray de pimenta e gás lacrimogêneo” aqueles que vieram apoiá-la diante de “insultos de um grupo de loucos macristas (em referência aos militantes que apoiam o ex-presidente Mauricio Macri).

Além disso, ela acusou o chefe do governo de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, de participar dos ataques contra ela e disse que aqueles que se manifestaram para insultá-la “nunca foram e nunca serão democráticos”.

O chefe de governo respondeu às acusações da vice-presidente e pediu-lhe que “não gerasse mais violência” e que “contribuísse para a manutenção da paz social”.

Antes desses eventos, Cristina disse que estava enfrentando uma “execução judicial midiática” a pedido do Ministério Público e porque o Tribunal rejeitou seu pedido de ampliação de sua declaração no julgamento “para exercer efetivamente seu direito de defesa. “

“Se faltou algo para confirmar que não estou perante um tribunal da Constituição, mas perante um pelotão de fuzilamento mediático-judicial, é para me impedir de exercer o direito de defesa perante questões que nunca apareceram no ato de acusação”, disse a vice-presidente por meio de sua conta no Twitter.

Ela então enfatizou que na terça-feira às 11h (horário loal da Argentina ,“vai demonstrar por que foi proibida de falar no tribunal após o roteiro obsceno que os promotores montaram”.

Defesa de Alberto Fernández

O presidente argentino, Alberto Fernández, descreveu como “dia muito desagradável” o que aconteceu com a vice-presidente, a quem expressou seu “mais profundo afeto e solidariedade”.

O presidente publicou uma declaração no Twitter em que o governo “condena a perseguição judicial e midiática contra a vice-presidente”.

Fonte: https://www.brasil247.com/americalatina/partidarios-e-opositores-de-cristina-kirchner-realizam-manifestacoes-sobre-pedido-de-prisao-para-a-vice-presidente

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + quatro =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.