Com novo foguete, China poderá concorrer com os EUA por atividades na Lua, segundo especialista
6 de maio de 2020
Preparem-se para a próxima virada no jogo: o Yuan digital
8 de maio de 2020

Por que a China continua comprando Su-35S da Rússia quando tem seus caças de 5ª geração?

<?XML:NAMESPACE PREFIX = “[default] http://www.w3.org/2000/svg” NS = “http://www.w3.org/2000/svg” />

Os Sokoly Rossii realizam voos de demonstração nos caças Su-35S, para assinalar os cem anos da fundação do regimento de aviação de combate da Força Aérea russa e da Defesa Aérea do Distrito Militar Oriental

© Sputnik / Anton Balashov

Defesa

10:10 06.05.2020URL curta

Sendo um dos poucos países que pode produzir caças de quinta geração, a China continua comprando os Su-35S da geração 4++ da Rússia, apesar de ter seus próprios caças avançados.

O Exército Popular de Libertação da China possui atualmente a maior frota de caças pesados do mundo, muitos deles desenvolvidos com base no Su-27. O primeiro caça pesado chinês não derivado deste caça soviético foi o J-20 de quinta geração, também chamado de Dragão Poderoso, escreve a revista Military Watch.

O J-20 entrou em serviço no início de 2017 e revolucionou consideravelmente as capacidades do país asiático. No entanto, muitos analistas continuam se perguntando por que a maioria das novas aeronaves na China para uso dentro de suas fronteiras ainda são de quarta geração.

Outra questão é por que razão o Exército Popular de Libertação da China assinou, em novembro de 2015, um contrato de US$ 2 bilhões (R$ 11,2 bilhões) com a Rússia para adquirir seus caças Su-35S, de geração 4++, tendo um da quinta geração.

“A Força Aérea dos EUA não voltou a encomendar novos F-15 e F-16 muito antes dos seus sucessores de quinta geração, os F-22 e F-35, terem entrado em serviço, e era esperado que a China fizesse o mesmo”, observou a fonte.

O fato de o país asiático ter adotado uma abordagem diferente, e de supostamente não ter procurado retirar de serviço suas aeronaves de quarta geração ou parar de comprá-las, levou muitos especialistas a especular se isso se devia a uma falta de confiança no J-20.

Vantagens do Su-35

De fato, o Su-35S tem muitas vantagens sobre o J-20 e o F-22 norte-americano. Por exemplo, o caça russo permite uma maior carga útil, podendo transportar até 14 mísseis da classe ar-ar.

Caça furtivo J-20 voa durante a Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China (foto de arquivo)

© AP Photo / Li Gang/Xinhua

Caça furtivo J-20 voa durante a Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China (foto de arquivo)

Também possui motores de empuxo vetorial tridimensional que garantem sua alta capacidade de manobra, bem como sistemas de rastreamento infravermelho que não existem no J-20 ou no F-22.

Ao mesmo tempo, apesar de pertencer a uma geração anterior, a mídia considera o sistema de guerra eletrônica a bordo do Su-35S superior aos do J-20 e do F-22.

No entanto, é indicado que, apesar de o J-20 ser mais moderno, o Exército Popular de Libertação da China ainda tem um bom motivo para comprar os aviões russos. O caça russo é mais leve e barato de operar do que o J-20.

Além disso, a compra do Su-35S pode permitir à China obter novas tecnologias para seus caças da mesma geração 4++: o J-10C e o J-11D. Ambos utilizam muitas tecnologias similares às instaladas a bordo do Su-35S, incluindo motores de empuxo vetorial tridimensional.

Caça furtivo chinês J-20

© Foto / Public Domain / Sunson Guo / J20_01

Caça furtivo chinês J-20

Desta forma, a China também diversifica sua frota, tendo acesso às tecnologias de uma das potências mundiais da indústria aeronáutica, diz a revista. É preciso notar que os Su-35S fornecidos para o país asiático têm níveis de desempenho inferiores aos utilizados pela Rússia.

“Isso não significa que a aviação militar russa seja mais avançada que a da China […] mas demonstra a compatibilidade de suas tecnologias aeronáuticas”, ressalta o artigo. Embora o Su-35S tenha uma série de vantagens sobre o J-20, isso não o torna um caça superior em todo o espectro das características técnicas.

“O perfil furtivo da aeronave chinesa, a sua capacidade de usar sensores maiores e integrar uma série de tecnologias de última geração […] fazem dela mais do que um avião à altura do Flanker [nome da OTAN para o Su-35] em combate de longo alcance”, afirma a Military Watch.

“Esta vantagem só continuará crescendo quando o J-20 integrar a próxima geração de motores de empuxo vetorial WS-15 que agora estão sendo desenvolvidos”, conclui a mídia.

Fonte: https://br.sputniknews.com/defesa/2020050615541952-por-que-a-china-continua-comprando-su-35s-da-russia-quando-tem-seus-cacas-de-5-geracao/

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.