Objetivo de relatório da ONU sobre Venezuela é sabotar diálogo nacional e eleições, afirma chanceler
19 de setembro de 2020
‘Os que brincam com fogo se queimarão’: China responde aos EUA iniciando manobras perto de Taiwan
19 de setembro de 2020

Rússia foi forçada a criar armas hipersônicas após retirada dos EUA do Tratado de Mísseis, diz Putin

Presidente russo Vladimir Putin

© Sputnik / Aleksei Druzhinin

Rússia

08:02 19.09.2020(atualizado 10:21 19.09.2020) URL curta

6941

Nos siga no

Hoje a Rússia possui, pela primeira vez na história, armas superiores a todas as outras existentes, afirmou o presidente russo Vladimir Putin.

Além disso, o presidente russo declarou que Moscou foi obrigada a desenvolver armas hipersônicas após a retirada dos EUA do Tratado de Mísseis Antibalísticos (ABM).

“A retirada dos EUA do Tratado de Mísseis Antibalísticos em 2002 forçou a Rússia a iniciar o desenvolvimento de armas hipersônicas. Nós fomos obrigados a construir este armamento em resposta à implantação do sistema de defesa de mísseis estratégicos dos EUA, que em perspectiva seria capaz de neutralizar de fato, de zerar todas nossas capacidades nucleares“, disse Putin durante uma videoconferência com o construtor de mísseis Gerbert Efremov.

Anteriormente a Rússia tinha de recuperar atrasos no campo do desenvolvimento de novos modelos de armamentos, mas agora, pela primeira vez, o país possui as armas mais avançadas, superando largamente os produtos dos outros países.

“Disse mais de uma vez que ao longo de décadas sempre tivemos que desempenhar o papel dos que ficam para trás […] Isso se referia às armas atômicas, nucleares, mais tarde à aviação estratégica de longo alcance, depois às tecnologias de mísseis intercontinentais, ou seja àquilo que os especialistas chamam de meios de entrega”, declarou o chefe de Estado russo durante uma videoconferência.

Presidente destacou que este fato sempre colocou o país em uma situação muito difícil e até perigosa. “De fato, houve momentos em que fomos ameaçados, mas não tínhamos nada com que responder”, ressaltou. Segundo Putin, isso foi uma clara e perigosa quebra do equilíbrio estratégico.

“E agora, pela primeira vez na nossa história recente, a Rússia possui as armas mais avançadas que superam largamente em força, potência, velocidade e, o que é muito importante, em precisão todas as existentes hoje e que tenham existido. Ninguém no mundo tem tais armas. Pelo menos por enquanto não têm”, sublinhou.

Lançamento do novíssimo míssil russo Avangard

© Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

Lançamento do novíssimo míssil russo Avangard

Além do mais, segundo o líder russo, Moscou fez todos os esforços para pôr fim ao desenvolvimento estratégico de armas hipersônicas, mas ninguém quis ouvir.

Em 2018, em sua mensagem para a Assembleia Federal, Vladimir Putin falou sobre os últimos tipos de armas estratégicas, incluindo os sistemas hipersônicos Kinzhal, Avangard, Burevestnik, o laser de combate Peresvet, bem como o drone submarino com propulsor nuclear Poseidon.

Em dezembro de 2019 entraram em serviço os sistemas a laser Peresvet. Além disso, está sendo alargada a rede de aeródromos para aeronaves portadoras de mísseis hipersônicos Kinzhal, foi iniciada a produção em massa do sistema de mísseis Avangard e está sendo desenvolvido o novo míssil balístico intercontinental pesado Sarmat.

Fonte: https://br.sputniknews.com/russia/2020091916095137-russia-foi-forcada-a-criar-armas-hipersonicas-apos-retirada-dos-eua-do-tratado-de-misseis-diz-putin/

Jacinto Pereira
Jacinto Pereira
Jacinto Pereira de Souza, Radialista, Historiador e Policial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 11 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.